Raoni Metuktire

0 60

Raoni Metuktire, atual cacique da tribo Kayapó, filho de Cacique Umoro, nasceu na província de Mato Grosso, em uma cidade chamada Krajmopyjakare (hoje chamada Kapot), em algum momento da década de 1930. Na maior parte de sua infância, Raoni viajou por áreas do Vale do Xingu, influenciado pelas tradições de caça de sua cultura. A identidade de Raoni como kayapó é significativa para ele, de tal forma que, aos 15 anos de idade, começou a usar um disco labial, como forma de expressar força e ferocidade como guerreiro Kayapó.

Raoni Metuktire

Raoni Metuktire

Os Mebengokre, ou Kayapó, como são conhecidos pelas sociedades ocidentais, são uma nação indígena que reside na bacia do Xingu norte, na Amazônia brasileira. Os Kayapós foram expostos ao mundo ocidental por muitos anos, mas ainda vivem em isolamento voluntário. Atualmente, são considerados como um dos povos mais ferozes e como uma grande nação indígena. Com uma população de aproximadamente 7.000 pessoas, eles residem em 21 aldeias, espalhadas por mais de 180 mil quilômetros quadrados do território do Parque Nacional do Xingu.

Raoni passou sua vida à margem da vida ocidental até 1954, quando se encontrou com os irmãos indigenistas brasileiros Villas Boas. Houve dúvida e tensão durante suas primeiras reuniões, especialmente devido às constantes ameaças às muitas tribos indígenas que enfrentavam o “desenvolvimento” do Brasil nas suas selvas. Esses encontros geralmente resultaram em surtos violentos, aumentando o número de mortes indígenas e, portanto, diminuindo sua população.

Los hemanos Villas boas primer contacto con los Ikpeng

Os irmãos Villas Boas no primeiro contato com os Ikpeng

Os irmãos Villas Boas estavam acompanhando a vida de Raoni, com eles, aprendeu a falar portugueses e recebeu uma visão do mundo fora de Kapot. Os irmãos Villas Boas entenderam que as nações indígenas deveriam ser preservadas, entenderam que os kayapós também queiram isso. Como forma de garantir sua proteção e identidade cultural, a reserva do Parque Nacional do Xingu foi formada em 1961, com uma área de 2,3 milhões de hectares e com mais de 6.000 habitantes.

Apesar da criação do parque, os Kayapós terem recebido o reconhecimento territorial não os protegeu das potências econômicas estrangeiras que buscavam a exploração de seu território. Antes de 1973 a violência era frequente nas terras  Kayapó, onde a mineração de ouro foi estabelecida.

Raoni Metuktire y Jean Pierre Dutilleux

Raoni Metuktire e Jean Pierre Dutilleux

Jean Pierre Dutilleux é um cineasta e etnógrafo francês, conheceu Raoni em 1973 e o produto dos laços dessa amizade foi o documentário chamado “Raoni: A luta pela Amazônia”, em 1977. O documentário atraiu a atenção internacional sobre as atrocidades que ocorreram com a população indígena da Amazônia, como resultado disso, o cantor e compositor britânico Sting se reuniu com Raoni, em 1989.

No ano de 1989, Raoni deixou o Brasil pela primeira vez em sua vida, viajou junto com Sting e Dutilleux, em uma turnê pela Europa e partes da Ásia, nesta turnê Raoni difundiu a mensagem dos direitos que defendia e recebeu fundos de oito nações diferentes para lutar pela demarcação formal de suas terras. Em 1993, Raoni recebeu o reconhecimento formal das terras – a expansão do Parque Nacional do Xingu – de 12 mil quilômetros quadrados originais, para 180 mil quilômetros quadrados.

Raoni Metuktire y Sting

Raoni Metuktire e Sting

Posteriormente, Raoni criou o “Instituto Raoni”, com a missão de garantir a proteção das nações Mebengokre, sua cultura e seu meio ambiente. Este instituto ganhou sua independência em 2011 e atualmente é administrado por povos indígenas e apoiado por vários chefes de estado, incluindo o ex-presidente Jacques Chirac, da França.

No entanto, a luta continua para Raoni, mesmo quando não viaja, já que ele prefere estar com seu povo, longe da sociedade brasileira. Como é com a barragem de Belo Monte, proposta pela primeira vez na década de 1970, que ameaça as terras Kayapó e as diferentes formas de vida da região, e obriga Raoni a continuar em sua luta, porque a relação entre eles como Kayapós e suas terras é crucial para sua sobrevivência física e cultural. A construção da barragem foi suspensa várias vezes devido à pressão internacional e à intervenção crucial de Raoni; até a presente data, e apesar de tudo isso, a construção da barragem continua sua marcha.

Raoni, devido à sua idade, cedeu as responsabilidades mais exigentes ao seu parente Megaron Txucarramãe. No momento, ele reside em sua cidade natal, Kapot, ainda ameaçada pela construção da barragem, pela mineração de ouro e pela infraestrutura de desenvolvimento.

Raoni, em sua idade avançada e firme em seus princípios, entrega sua mensagem às gerações mais novas do povo Kayapó, contra as ameaças que enfrentam e a favor da preservação da identidade étnica do Kayapó

Como o próprio Raoni diz: “Não confunda os costumes Kayapó com os costumes brasileiros, não cobice o dinheiro, não procure ouro brilhante”.